Mesmo que minha leitura tenha avançado muito pouco nesta última semana, percebi que o título do livro nos leva a criar um estigma para a personagem, que até agora pelo menos não se verfica, pois parti do pressuposto que encontraria um completo “idiota” e que tem se mostrado apenas ingênuo,  esse suposto trocadilho linguístico foi o que me levou a este engano e também a observar como a epilepsia define o Príncipe Míchkin,  ela é a raiz na qual se sustenta todas as características desta personagem tão peculiar. Espero que Dostioévski ainda reserve muitas surpresas durante esta ótima leitura!