Com a leitura um  pouco mais   adiantada,   percebo   como são    complexas as personagens  compostas  por  Dostoiévisk   em  “O Idiota”  a começar  por  esta personalidade  tão curiosa que é  a do Príncipe  Míchkin ,  eu  enxergo nele um conjunto de  característica que  parecem ser uma  exaltação  utópica à pureza moral, surge em mim então um inquietação quanto a isso,  queria o autor nos brindar com uma personagem que fosse a encarnação da pereição?! Pois bem sabemos   que   nós   não   somos    humanamente   perfeitos,   o   que pretendia Dostoiévisk ao compor esta obra tão singular,   é a pergunta que  me proponho cada vez que pego meu exemplar, ainda não cheguei a uma resposta, mas é fato que esta  é   uma   obra magistral  e que  nos leva  a  reflexões profundas sobre a complexidade da qual somos feitos.