Dashiell Hammett, autor de O Falcão MaltêsAs discussões e apreciações sobre O Falcão Maltês foram muito boas. Ao longo destas semanas, os participantes do clube tem discutido os vários aspectos do livro e o seu relacionamento não só com o romance policial noir, mas com o próprio gênero. O fato é que, ao lado do prazer da leitura e, de certa forma, do surpreendente final, as conversas foram muito boas, permitindo a abordagem de vários pontos para os quais, sozinhos, não atentaríamos.

Como já afirmei anteriormente – Uma linguagem direta – a abordagem do autor é bem direta, sem muito floreios, mas com uma trama muito bem construída. E isso, no meu entender, é um dos charmes não só do livro de Hammet, mas de outros romances policiais que se enquadram no gênero noir. Poderíamos dizer que eles são de ação, com a psicologia de alguns outros detetivas entrando apenas como coadjuvantes.

Há também a destacar – aliás o que, novamente, já chamei a atenção – para o fato de estarmos em um mundo masculino, com as mulheres participando da trama, mas o fazendo, de certa forma, em papéis secundários. Em O Falcão, Brigit fica distante de Spade, o astro, e perde até para o próprio Falcão. De qualquer forma, ela ilustra, e muito bem, o fato de os homens dominarem o cenário e serem, no final, todos meio cafajestes.

Ao final, no caso de O Falcão Maltês, no meu caso particular, ficou o prazer de rever um livro que havia lido há muito tempo, relembrar a história e, como já contei aqui, visualizar o cenário, a cidade de São Franscisco, podendo, na memória, comparar as ruas da época de Hammet com as de agora, vendo-as e encaixando suas descrições na moderna e cosmopolita cidade. Neste aspecto, o livro proporcionou-se um novo passeio pela cidade.

Há, ainda, um outro aspecto a considerar nas leituras deste clube no qual O Falcão Maltês se encaixa, que é a rotação dos gêneros, sua diversidade que nos leva a mundos e culturas diferentes. Com isso, ampliamos nosso horizonte e, ao mesmo tempo, nos divertimos. O Clube, neste quesito, cumpre, e muito bem, o seu propósito.