Nas últimas 5 semanas o assunto principal aqui do nosso clube do livro foi a loucura. Assunto esse inspirado por Machado de Assis com sua obra genial cujo título é O Alienista. Machado, que era negro (ou mulado) e sem instrução formal, com maestria e sutileza nos conduziu de mãos dadas e nos fez deslizar pelas várias entrelinhas e ironias de seu conto de forma ímpar.

Ora, nada melhor para falar da loucura do que expor nossas próprias loucuras não é mesmo ? E com isso, o tema proposto pela Scliar, que foi a nossa condição tão humana, nos permitiu abrir nossos corações e justificar aqui quase todas as nossas atitudes que variam desde a vaidade, arrogância, fobias até mesmo a intolerância para com o próximo. E não é a intolerância com o outro um reflexo de nossa intolerância com nós mesmo ? Fica aí uma questão para lá de complexa que não tenho a mínima intenção de me aprofundar por aqui… afinal, no final, somos todos humanos e sujeitos a nossa condição tão humana. Seguindo essa linha de raciocínio, o dia em que formos perfeitos deixaremos de ser humanos. Mas até aonde a imperfeição é aceitável ?

É realmente confortante e interessante dizer que a loucura faz parte de nossa condição tão humana e que os limites entre a loucura e a sanidade mental são praticamente indefiníveis. Com isso estamos “perdoando” muitos dos “loucos normais” e como consequência todas as loucuras de pequeno porte. O que fazer então com as loucuras coletivas de proporções bíblicas ? Afinal, não são elas apenas um coletivo de loucuras pequenas que também fazem parte de nossa condição tão humana ?

A Scliar falou sobre isso nesse post aqui e achei bem interessante e vou aproveitar aqui para responder uma pergunta que o Marcelo me fez nesse post da Mércia aqui. O que quero dizer é que ao perdoarmos nossas pequenas loucuras de certa forma estamos perdoando as tragédias humanas. Como assim ? Vou citar um exemplo: O que foi o holocausto se não um grupo de intolerantes para com o diferente ?

Não sei se vocês estão acompanhando aí do Brasil, mas o fato é que a vida do imigrante na europa está cada dia mais difícil. Em alguns países podemos dizer que a situação está beirando o inaceitável. E porque tudo isso ? A resposta é simples… um país economicamente rico e estável é sempre aberto a imigrações desde que essa seja produtiva para o país. Ou seja, imigrante é necessário para o crescimento econômico de um país. O problema começa apenas quando uma crise econômica acontece. Falta de emprego e leito nos hospitais é a primeira desculpa para começar a mandar os imigrantes de volta para casa. E obviamente é fácil fazer a intolerância ecoar por um país inteiro… basta algumas primeiras páginas nos jornais alimentando o sentimento nacionalista da moçada desempregada.

E não foi assim que começou o holocausto ? Primeiro, a Alemanha sai da primeira guerra compretamente arrasada e com o orgulho ferido. De forma bem resumida, a história que nos é contada é que os poloneses foram mandados embora da Alemanha e por outro lado a Polônia não foi capaz de recebe-los de volta. Entre um país e outro, na terra de ninguém, ficaram os poloneses morrendo às minguas até que um rapaz de 17 anos, em defesa a sua família cometeu a “loucura” de atirar em um oficial alemão em Paris, dando forças aos planos de Hitler que aproveitou a oportunidade para gritar em auto e bom som de que os judeus queriam matar a todos os Alemães. Os alemães, alimentados pela intolerância já pairando no ar por meses, apoiaram então os nazistas. Loucura ? Pode ser… mas tudo começou com a intolerância e terminou com a Noite dos Cristais. O que veio depois todo mundo também já sabe.

Aqui na Inglaterra existe uma campanha de alguns setores da direita, incluindo notícias de primeira página nos jornais, dizendo que os imigrantes lotam as maternidades e por essa razão faltam recursos para atender a todos os pacientes. Já vemos nas ruas uma certa intolerância para com os imigrantes do leste europeu. Mas a Inglaterra em geral, ainda é um país muito tolerante para com o imigrante. A Espanha na minha opinião está liderando o grupo de intolerantes, mas na lista estão vários outros países europeus que resolveram apertar as leis de imigração. Alemanha ? Aprendeu com os erros do passado ? Não estou muito certa… eu mesmo em Munich mês passado passei por uma situação absurdamente constrangedora, e lá não basta ser alemão… tem que ser da Bavária. A única diferença é que os poloneses da vez são os turcos. Enfim… vemos a cada dia a intolerância ao diferente crescer na Europa e sabemos bem o final dessa história.

Enfim, deixo por conta de vocês juntar a nossa condição tão humana e loucuras assim justificáveis, que continuam acontecendo em nossa atualidade, com as tragédias humanas que aconteceu já há algumas vezes na história da humanidade. Sim, pois o holocausto é apenas um exemplo dentre tantos outros que vemos por aí hoje em dia e nos livros de história. E não foi também a colonização uma tragédia humana ? Engraçado a incoerência… o mesmo povo que invadiu, estuprou, matou e impôs toda uma nova cultura a toda uma civilização hoje em dia fecha suas portas para seus filhos.

Até que ponto nos esconderemos por trás de nossa condição tão humana para justificar nossos erros e fazer o outro padecer conscientemente ou inconscientemente ?

É, depois de 5 semanas de discussão só me resta concordar com o Dr. Bacamarte… a humanidade está definitivamente perdida. São tantas as fobias, vaidades, arrogâncias, intolerâncias e pequenas loucuras que mais fácil então é enfiar os poucos inocentes que ainda restam na Casa Verde, antes que eles se corrompam.

Um abraço a todos e tenham uma ótima semana !

Lys